Por Bruno Fleming

Por Bruno Fleming

sábado, 2 de junho de 2012

Bigode de Leite, Folha de Hortelã - Volume 06

Bruno Fleming











continuando...

Pena5 que a menina não more na cidade, será que quando for embora saberei como agora?
Olho castanho, castanha infância, sardinha e pele branca, linda na ciranda.
Meu Kichute furado, cadarço na canela, dançando ao lado dela (palhaço da groselha).
Casquinha no joelho, o primeiro beijo, vermelho é meu sangue, teu lábio é flamejante.

(Totó): - Deixo estar assim, leve feito chá que aquece o peito de quem bebe pra melhorar.
Pena que você não more na cidade, será que quando for embora saberei como agora eu sei? Do cheiro da blusa, carinho na nuca, sorriso que cuida!

Estamos aqui, saudoso inverno.

(Totó): - Ela aperta minha mão no parquinho que é de ferro-velho!

Tiro ao alvo e minhocão.
Roda-gigante, roda menina, roda bem vestida de roupa e coração.

(Totó): - Deixo estar assim, leve feito chá que aquece o peito de quem bebe pra melhorar.

Carta de Valentina para Totó:
“Guarde6 o coração, obrigada pelo beijo bom (que não volta mais). Juro que não sei porque, sei que já não posso mais te ver pequenino. Sou linda donzela, sou do mar, sou do ar. Forte e feminina de cair e levantar! Sou árvore pequena mas já tenho sombra boa! Limpa pra beber, lisa de correr sou água limpa. Corro para o mar, subo para o céu, caio onde o vento querer que eu caia! Caro amigo Totó, estou partindo por agora pra bem longe. Obrigada pelo céu, sinto muito pelo ‘não’ mas não dá, só te peço. O bêbado Amarelo beberá e cairá. Um santo branco anjo descerá pra lhe ajudar...”

Assinado: Valentina.


(Totó): - Valentina7 foi-se embora e não pude perceber...
Se ao menos eu soubesse teria vindo aqui pra ver!

Valentina escova os dentes com maçã.

(Totó): - Tudo agora diferente na varanda sem você...
Algo estranho acontece, será que vou me esquecer?

Valentina escova os dentes com maçã.
Tangerina na mochila de manhã.

(Totó): - Se a vida assim me pede, já não posso mais ceder...
Tentarei olhar pra frente e aceitar o que vai ser!

Valentina escova os dentes com maçã.
Tangerina na mochila de manhã.
Argentina de bandeira e coração.

(Totó): - Amanhã8 de manhã ao levantar irei recomeçar sem Valentina...
Amanhã de manhã ao levantar irei chamar todos os heróis, a turma da rua.
Iremos caçar o Boi-da-Cara-Preta e o Úrso-Mole do Julio Cortázar e cada qual irá com sua bicicleta branca levando uma arma de fazer “pinhar-pinhar!”

Mas pra encontrar bichos tão caros de imaginar não há de ser fácil,
pois pra chegar lá é preciso atravessar o quarteirão
por dentro das casas de sagrados quintais protegidos,
cheios de calma.

(Totó): - Amanhã de manhã ao levantar contemplarei os caramujos e o lodo nas pedras.

Observar miniaturas no chão de terra pra ampliar minha cabeça.

(Totó): - Amanhã de manhã ao levantar, saltarei naquele sonho das crianças do mundo de balançar em colos seguros, lugares perfeitos de acreditar na vida sem medo.
continua...

Um comentário:

  1. "No Parque de Ferro Velho"... é uma das músicas mais bonitas que já ouvi em toda minha vida!

    ResponderExcluir